Why beacons platforms aren’t a good idea

We have seen many platforms that allow quickly and easy create and integrate beacon based apps in mobile devices, just as well to have centralization of the notifications in the same app. Try a simple search at google.

This is a natural way, I don’t want to open many applications to interact with beacons, the centralisation is trivial. TODAY, the only way to get notifications is keeping the app opened, and it’s very bad!

But I think that invest in this market of platforms is dangerous at this time. iBeacon is premature technology and the vendors, like Apple and Google (Android), are waiting for the “rules of adoption” of the community to create the specifications.

As well as the beacon platforms is a natural way, the standardisation of this by the devices (iOS and Android) as well. It is trivial that the devices will have his own platform/centralization of these technologies.

While the vendors (mainly the Apple) don’t give details about this implementations, this segment will continue to be pure speculation, such it post.

Porque indoor location vai mudar sua vida?

Vivemos um momento onde o GPS se consolidou como a tecnologia padrão de localização, mas — como você já deve ter descoberto — não funciona dentro de casa, do mercado, do shopping, da academia e nem do banheiro.

Essa lacuna se chama indoor location, que nada mais é do que localização dentro de lugares que o GPS não funciona. Esse segmento ainda da seus primeiros passos, ainda mais no Brasil, e não possui uma tecnologia padrão. Existem várias frentes, cada uma com seus prós e contras, nenhuma ainda que tenha preenchido todos os requisitos de custo/beneficio.

Para que precisamos de indoor location?

Você usa o GPS para se achar dentro dos complexos mapas de cidades desconhecidas e, de quebra, ainda pode encontrar bares, restaurantes, farmácias, escolas, hotéis e muito outros serviços. Essa informação é obtida em tempo real, desde sua origem até seu destino, cruzando dados de apoio como transito, transporte, meteorologia e até interação entre usuários.

Tudo isso é fantástico! E nos ajuda a sobreviver durante alguns dias de folga naquela praia que você nunca esteve antes — desde que tenha sinal 3G. Aliás, como as pessoas visitavam locais desconhecidos antes?

Ok, ótimo… mas sabe qual é o problema dessa tecnologia toda? Essa interação termina quando você entra em algum lugar onde não pega GPS. Ou seja, qualquer lugar coberto. Putz!

Acabamos de responder a pergunta lá de cima: Para que precisamos de indoor location? Para ter toda essa interação dentro de lugares cobertos. Agora, vamos à próxima pergunta…

Para que precisamos toda essa interação dentro de lugares cobertos?

As possibilidades são muitas, mais possibilidades que nos locais externos, acredite. Vamos divagar em algumas:

  • Imagine que ao chegar no shopping você pode pesquisar por um produto, ver os preços, escolher dentre as opções e, por fim, ser guiado até a loja e o local onde o mesmo se encontra;
  • Ao entrar em uma loja você pode receber as principais promoções no seu celular;
  • Em um hospital você pode ser guiado até o quarto do seu ente;
  • No estádio, ou no cinema, poderemos saber exatamente o local do nosso assento, pipoca, cachorro-quente, banheiros.

Talvez, finalmente, conseguimos encontrar uma solução para as mulheres que não encontram um caminho rápido para fazer compras no shopping. Ok, meninas, eu não podia deixar faltar esse clichê, podem usar os comentários para me derreter.

Assim como acontece com serviços externos, podemos nesses casos cruzar dados de outras fontes, como consultar suas preferencias para aprimorar sugestões:

  • Imagine chegar no mercado, passar por um corredor e seu celular avisar que o M&Ms está em promoção, porque ele sabe que você curtiu a página desses deliciosos doces no Facebook;
  • Ao chegar em casa e passar pela sua sala de estar, as luzes podem acender automaticamente, assim como o som ambiente com sua musica favorita;
  • Ou até ligar a TV no canal de fofocas porque você acabou de postar no twitter sobre a morte daquela sub-celebridade ex-bbb (não faça isso, por favor).

Podemos ficar aqui até amanhã falando sobre as possibilidades, são infinitas. A tecnologia está caminhando para esse fim e novas portas estão se abrindo, logo será uma realidade. Em outros artigos vou entrar em mais detalhes técnicos de como isso funciona.

Talvez você esteja se perguntando sobre o impacto disso tudo na sua privacidade. Em tempos de internet, redes sociais e espionagem sugiro que você pergunte sobre privacidade para um ex-bbb.

O Manifesto

Indivíduos notáveis, como Chris Gardner, possuem três características em comum: Personalidade, Atitude e Credibilidade. Vamos propor algumas regras para que você deixe de ser um babaca reclamão e chegue exatamente onde você quer chegar:

Não fale, escute — Não esqueça da analogia dos dois ouvidos e uma boca, ouvir mais do que abrir sua boquinha cheia de dentes vai tirar você de diversos constrangimentos. Antes de perder seu tempo e, principalmente, o dos outros, pense: vale a pena dizer isso?

Não reclame, faça — Reclamar das coisas é tão efetivo quanto chá de limão contra AIDS, você só vai encher o saco das outras pessoas e ficar ainda mais estressado, aumentando o problema. Faça uma reflexão e veja o que precisa ser feito para resolver a situação, e resolva!

Pense antes — Antes de fazer qualquer coisa, seja uma pequena ação ou tomar uma grande decisão, pense! Tire o pó dessa maquininha que fica em cima do pescoço. Lembre-se que toda ação tem reação, tente antecipar as reações da sua escolha, avalie se o objetivo vale correr o risco, seja ele alto ou baixo.

Não conte com a sorte — Sorte não existe, lamento, é apenas nome que damos ao que não temos controle. Portanto, não conte com ela. Planeje as coisas até não sobrarem lacunas das quais você não tem controle. Assim você elimina todas os pontos que precisaria de sorte.

Simplifique — Essa palavra deve ser um mantra na sua vida, simplifique todos os aspectos. Vá pelo caminho mais simples, resolva os problemas pelo modo mais fácil. Não faça ou crie nada além do necessário, só vai trazer problemas e fazer perder tempo.

Seja humilde — Não imponha superioridade, assuma sua posição real e conquiste seu espaço. Escute de verdade o que os outros tem a dizer, nunca pressuponha que você já entende o que ainda nem foi dito, observe o ambiente sem arrogância. Não estar atento pode fazer você cair do pedestal.

Tenha respeito — Não ridicularize a ideia ou opinião de outras pessoas, elas tem bons motivos para pensar assim. Mesmo que não tenham, isso não é da sua conta. Sempre pense que você pode estar errado. Lembre-se que seu direito termina exatamente quando começa o do outro, respeite esse limite.

Seja você mesmo — Deixe de ser uma cópia! Entenda o que você realmente quer. Nossa tendência é seguir, isso é natural, mas as vezes é muito mais difícil tentar se encaixar ao grupo do que simplesmente ceder a si próprio. Crie você mesmo, esqueça os outros, escreva sua própria história.

Siga exemplos — Somo mais de sete bilhões de pessoas no mundo, sem contar em todas as outras que já passaram por aqui. Tudo, de uma forma ou de outra, já foi feito, tudo. Não seja inocente, busque o conhecimento e as experiências de outras pessoas. Você vai errar, mas pode evitar. O esperto aprende com seus próprios erros, o sábio aprende com os erros dos outros.

Caia na real — Sonhar é bom, ajuda a manter a sanidade e definir o que somos e o que queremos. Porém, tenha os pés no chão na hora de planejar. Tenha noção que não existe mágica, você tem que passar por todas as etapas até conseguir o que quer, se não, vai ficar chupando dedo.

De nada adianta ler tudo isso, concordar e não colocar em prática. Compartilhe, ajude, muitas pessoas precisam disso.